Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2012

Vamos jogar pingue-pongue?

Imagem
Oscar Wilde diz: "Não sou jovem o suficiente para saber tudo.". Lembrei-me dessa frase ao assistir o vídeo que registrou a reação de uma criança ao descobrir que existem casais de marido e marido. Cheguei a esse vídeo, pois me vi metido em um momento de auto-crítica, de rever posicionamentos. Conclui que o inglês estava certo: não sou mais criança para saber de algumas coisas. Mas posso aprender!
Talvez muitas verdades estejam nas crianças, porque elas as mereçam mais do que nós, adultos inseguros que dependemos tanto de um punhado de convicções para construir o chão em que pisamos. E que ninguém as arranhe. 
Como reage o menino? Com espanto, claro. Casais de marido (meninos) e esposa (mulheres) é o que ele mais vê. Além disso, o natural é que o macho procure a fêmea em qualquer espécie. Talvez esse dado genético também se manifeste na reação do garoto.
O espanto é a reação natural do ser humano àquilo que é diferente - diferente enquanto, simplesmente, aquilo que não acontece …

Funcionário de Consulado

O primeiro homem que me atendeu efetuou a cobrança pela renovação do passaporte. “Agora, fale com o Alexandre. Sala 7.” Atravessei uma área externa da enorme casa que abriga o Consulado. Dentro da tal sala, as mesas formam um L. Na perna mais longa, sentavam um homem e uma mulher. Na outra, quase grudado na parede, o homem que restava. Todos levantaram a cabeça e me olharam. Muito provavelmente, cada um deles executava um único tipo de serviço. Por isso a excitação que repentinamente os dominou até que “Alexandre” e duas cabeças imediatamente baixaram, a da mulher e a do homem mais velho que sentava a seu lado. Vindo do canto, percebi um grunhido quase inaudível. Era ele. Eu era o primeiro trabalho do dia.
Alexandre aparenta entre 30 e 35 anos. Não é alto nem baixo. É feio. Os cabelos pretos são encaracolados. Na parte da frente, já se percebe a entrada. Compensa-a os deixando sobrar atrás, onde pequenos cachos se formam voltados para a cabeça, como se desejassem retornar à região em q…