Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

Inicial

Deixe a sua beleza se mostrar sem cálculo e sem fala. Ela diz por você: eu sou. Você se cala. E ela se manifesta de mil modos e enfim atinge a todos.

SÉTIMA ELEGIA

NÃO, NÃO MAIS BUSCAR: que seja esta, voz da madurez, a essência do teu grito. Gritaste, em verdade, com a pureza do pássaro, quando erguido pela estação que ascende, quase esquece que é um ser desamparado, coração solitário lançado às alturas, na intimidade do céu. Como ele, buscavas a amiga invisível que te pressentisse, a silenciosa em que uma resposta desperta, lenta, e se aquece ao ser ouvida – a companheira ardente do teu sentimento exasperado. Oh, e a primeira compreenderia – não há lugar ali sem ecos da Anunciação. Primeiro, esse leve despertar do som que interroga e que de longe envolve num silêncio exaltador, a pura afirmação de um dia. Depois, os degraus do vôo, os degraus-apelo, até o tempo sonhado do futuro -e então os murmúrios, as fontes que em seu jato impetuoso antecipam a queda, num jogo promissor... E diante de si, o verão! Não somente as manhãs de estio, não só a sua metamorfose em dias e o seu fulgor em auroras, não só os dias que fazem ternos juntos às flores e no alto, junto às…

A Pantera

De tanto olhar as grades seu olhar esmoreceu e nada mais aferra. Como se houvesse só grades na terra: grades, apenas grades para olhar.
A onda andante e flexível do seu vulto em círculos concêntricos decresce, dança de força em torno a um ponto oculto no qual um grande impulso se arrefece.
De vez em quando o fecho da pupila se abre em silêncio. Uma imagem, então, na tensa paz dos músculos se instila
para morrer no coração.
Rainer Maria Rilke
Campos, Augusto de. Coisas e anjos de Rilke. 2. ed.  - São Paulo : Perspectiva, 2013.
Finalizado o corte de cabelo; transcorrido no mais completo silêncio.
- Brigado, Zé. Posso pegar uma balinha?
- Essa é pra quem não chora.
Imagem
so you want to be a writer?  by Charles Bukowski
if it doesn't come bursting out of you in spite of everything, don't do it. unless it comes unasked out of your heart and your mind and your mouth and your gut, don't do it. if you have to sit for hours staring at your computer screen or hunched over your typewriter searching for words, don't do it. if you're doing it for money or fame, don't do it. if you're doing it because you want women in your bed, don't do it. if you have to sit there and rewrite it again and again, don't do it. if it's hard work just thinking about doing it, don't do it. if you're trying to write like somebody else, forget about it. if you have to wait for it to roar out of you, then wait patiently. if it never does roar out of you, do something else. if you first have to read it to your wife or your girlfriend or your boyfriend or your parents or to anybody at all, you're not ready. don't be like so man…